CNBB abre Campanha da Fraternidade e recebe mensagem do papa


Autor: Sedac
Data publicação: 01/03/2017

CNBB abre Campanha da Fraternidade e recebe mensagem do papa

<p>A Confer&ecirc;ncia Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) abre oficialmente, nesta Quarta-feira de Cinzas, 1&ordm; de mar&ccedil;o, a Campanha da Fraternidade 2017 (CF 2017). O lan&ccedil;amento da campanha, com o tema: &ldquo;Fraternidade: biomas brasileiros e a defesa da vida&rdquo;, foi nesta manh&atilde;, na sede da entidade, em Bras&iacute;lia (DF).</p> <p>A campanha, que tem como lema &ldquo;Cultivar e guardar a cria&ccedil;&atilde;o&rdquo; (Gn 2.15), alerta para o cuidado da Casa Comum, de modo especial dos biomas brasileiros. Segundo o bispo auxiliar de Bras&iacute;lia (DF) e secret&aacute;rio geral da CNBB, dom Leonardo Ulrich Steiner, a proposta &eacute; dar &ecirc;nfase &agrave; diversidade de cada bioma e criar rela&ccedil;&otilde;es respeitosas com a vida e a cultura dos povos que neles habitam, especialmente &agrave; luz do Evangelho. Para o bispo, a depreda&ccedil;&atilde;o dos biomas &eacute; a manifesta&ccedil;&atilde;o da crise ecol&oacute;gica que pede uma profunda convers&atilde;o interior. &ldquo;Ao meditarmos e rezarmos os biomas e as pessoas que neles vivem, sejamos conduzidos &agrave; vida nova&rdquo;, afirma.</p> <p>O papa Francisco enviou uma mensagem por ocasi&atilde;o da abertura da Campanha da Fraternidade 2017. Eis a &iacute;ntegra do texto:</p> <p><strong>Queridos irm&atilde;os e irm&atilde;s do Brasil!&nbsp;</strong></p> <p>Desejo me unir a voc&ecirc;s na Campanha da Fraternidade que, neste ano de 2017, tem como tema &ldquo;Fraternidade: biomas brasileiros e defesa da vida&rdquo;, lhes animando a ampliar a consci&ecirc;ncia de que o desafio global, pelo qual toda a humanidade passa, exige o envolvimento de cada pessoa juntamente com a atua&ccedil;&atilde;o de cada comunidade local, como ali&aacute;s enfatizei em diversos pontos na&nbsp;<em>Enc&iacute;clica Laudato Si</em>&rsquo;, sobre o cuidado de nossa casa comum.</p> <p>O criador foi pr&oacute;digo com o Brasil. Concedeu-lhe uma diversidade de biomas que lhe confere extraordin&aacute;ria beleza. Mas, infelizmente, os sinais da agress&atilde;o &agrave; cria&ccedil;&atilde;o e da degrada&ccedil;&atilde;o da natureza tamb&eacute;m est&atilde;o presentes. Entre voc&ecirc;s, a Igreja tem sido uma voz prof&eacute;tica no respeito e no cuidado com o meio ambiente e com os pobres. N&atilde;o apenas tem chamado a aten&ccedil;&atilde;o para os desafios e problemas ecol&oacute;gicos, como tem apontado suas causas e, principalmente, tem apontado caminhos para a sua supera&ccedil;&atilde;o. Entre tantas iniciativas e a&ccedil;&otilde;es, me apraz recordar que j&aacute; em 1979, a Campanha da Fraternidade que teve por tema &ldquo;Por um mundo mais humano&rdquo; assumiu o lema: &ldquo;Preserve o que &eacute; de todos&rdquo;. Assim, j&aacute; naquele ano a CNBB apresentava &agrave; sociedade brasileira sua preocupa&ccedil;&atilde;o com as quest&otilde;es ambientais e com o comportamento humano com rela&ccedil;&atilde;o aos dons da cria&ccedil;&atilde;o.</p> <p>O objetivo da Campanha da Fraternidade deste ano, inspirado na passagem do Livro do G&ecirc;nesis (cf. Gn 2,15), &eacute; cuidar da cria&ccedil;&atilde;o, de modo especial dos biomas brasileiros, dons de Deus, e promover rela&ccedil;&otilde;es fraternas com a vida e a cultura dos povos, &agrave; luz do Evangelho. Como &ldquo;n&atilde;o podemos deixar de considerar os efeitos da degrada&ccedil;&atilde;o ambiental, do modelo atual de desenvolvimento e da cultura do descarte sobre a vida das pessoas&rdquo; (LS, 43), esta Campanha convida a contemplar, admirar, agradecer e respeitar a diversidade natural que se manifesta nos diversos biomas do Brasil &ndash; um verdadeiro dom de Deus &ndash; atrav&eacute;s da promo&ccedil;&atilde;o de rela&ccedil;&otilde;es respeitosas com a vida e a cultura dos povos que neles vivem. Este &eacute;, precisamente, um dos maiores desafios em todas as partes da terra, at&eacute; porque as degrada&ccedil;&otilde;es do ambiente s&atilde;o sempre acompanhadas pelas injusti&ccedil;as sociais.</p> <p>Os povos origin&aacute;rios de cada bioma ou que tradicionalmente neles vivem nos oferecem um exemplo claro de como a conviv&ecirc;ncia com a cria&ccedil;&atilde;o pode ser respeitosa, portadora de plenitude e misericordiosa. Por isso, &eacute; necess&aacute;rio conhecer e aprender com esses povos e suas rela&ccedil;&otilde;es com a natureza. Assim, ser&aacute; poss&iacute;vel encontrar um modelo de sustentabilidade que possa ser uma alternativa ao af&atilde; desenfreado pelo lucro que exaure os recursos naturais e agride a dignidade dos pobres.</p> <p>Todos os anos, a Campanha da Fraternidade acontece no tempo forte da Quaresma. Trata-se de um convite a viver com mais consci&ecirc;ncia e determina&ccedil;&atilde;o a espiritualidade pascal. A comunh&atilde;o na P&aacute;scoa de Jesus Cristo &eacute; capaz de suscitar a convers&atilde;o permanente e integral, que &eacute;, ao mesmo tempo, pessoal, comunit&aacute;ria, social e ecol&oacute;gica.</p> <p>Reafirmo, assim, o que recordei por ocasi&atilde;o do Ano santo Extraordin&aacute;rio: a miseric&oacute;rdia exige &ldquo;restituir dignidade &agrave;queles que dela se viram privados&rdquo; (Misericordia vultus, 16). Uma pessoa de f&eacute; que celebra na P&aacute;scoa a vit&oacute;ria da vida sobre a morte, ao tomar consci&ecirc;ncia da situa&ccedil;&atilde;o de agress&atilde;o &agrave; cria&ccedil;&atilde;o de Deus em cada um dos biomas brasileiros, n&atilde;o poder&aacute; ficar indiferente.</p> <p>Desejo a todos uma fecunda caminhada quaresmal e pe&ccedil;o a Deus que a Campanha da Fraternidade 2017 atinja os objetivos. Invocando a companhia e a prote&ccedil;&atilde;o de Nossa Senhora Aparecida sobre todo o povo brasileiro, particularmente neste Ano mariano, concedo uma especial B&ecirc;n&ccedil;&atilde;o Apost&oacute;lica e pe&ccedil;o que n&atilde;o deixem de rezar por mim.</p> <p>Vaticano, 15 de fevereiro de 2017.</p>

\r\n

Fan Page

Informativo

Social

  • © Copyright 2017 Faculdade Catolica de Mato Grosso - FACC - Todos os direitos reservados.